Pesquisar
Close this search box.

Como Ganhar de 3 a 15 mil por mês em casa (usando somente a Internet)

Veja o Que os Meus Alunos Estão Fazendo Para Ganhar de 3 a 15 mil por mês Trabalhando Por Conta Própria de Casa Usando Somente a Internet

Alex Vargas

Alex Vargas é empreendedor digital há mais de 17 anos. Desenvolveu dezenas de negócios na Internet. É criador de diversos treinamentos online, com destaque para o Fórmula Negócio Online que é considerado o treinamento mais indicado para quem quer começar um negócio do zero.

Mínimo produto viável- Saiba tudo sobre MVP

Sumário

Hoje em dia uma estratégia essencial no empreendedorismo é a criação de um Produto Mínimo Viável (MVP).

Mas você sabe o que é o Mínimo produto viável? Basicamente essa é uma abordagem que tem como foco desenvolver um produto ou serviço de forma rápida e econômica. Ele tem o objetivo de testar sua aceitação no mercado antes de você fazer algum investimento.

Hoje neste artigo, vou falar sobre o que é um mínimo produto viável, qual é o seu principal objetivo, as vantagens de sua elaboração, quais são os  tipos de MVP. Além disso, vou dar um passo a passo para construir um.

E aí, você quer saber o que é um MVP? Então vem comigo nessa leitura e descubra tudo comigo. Confira logo a seguir.

Novo Curso GRÁTIS em Vídeo: Como Ser Afiliado e Vender na Internet

O que é um Mínimo produto viável?

O Mínimo Produto Viável ou MVP é uma versão simplificada de um produto ou de um serviço que foi lançado no mercado com o objetivo de validar sua proposta de valor juntamente aos usuários.

Basicamente ele possui funcionalidades essenciais para atender às necessidades básicas do cliente. Isso permite que a empresa teste sua aceitação, colete feedback e também valide sua viabilidade.

Qual é o objetivo de se elaborar um Mínimo Produto Viável 

O objetivo de elaborar um mínimo produto viável é reduzir o risco e maximizar o aprendizado. Ao lançar um mínimo produto viável  no mercado, o empreendedor está buscando validar suas hipóteses, aprendendo com a interação dos usuários com o seu produto ou serviço.

Com ele é possível obter um feedback valioso e identificar oportunidades de melhoria, podendo assim fazer ajustes antes de investir algum tipo de recurso no desenvolvimento do produto.

Ou seja, o MVP vai permitir uma abordagem mais orientada através de dados, ajudando assim a minimizar o desperdício de tempo e recursos.

Observação: MVP é a sigla que representa o Mínimo Produto Viável – em inglês, Minimum Viable Product.

Exemplo de um produto mínimo viável 

Um dos exemplos mais conhecidos de MVPs é o do Facebook.

Antes de lançar a versão definitiva daquela que viria a se tornar a maior rede social do mundo, Mark Zuckerberg e sua equipe lançaram antes uma espécie de versão “beta”, que era mais restrita era um tipo de jogo de paquera chamado de Facemash.

Nele, eram apresentadas apenas 2 fotos e os estudantes escolhiam a que achavam mais bonita.

Levando em conta o que se tornou o Facebook e o que ele é atualmente, fica bem clara a sua evolução desde a época em que era apenas um MVP no ambiente universitário.

Vantagens de fazer um Mínimo Produto viável 

Fazer um mínimo produto viável pode trazer várias vantagens para empreendedores e empresas. A seguir,

fiz uma lista com alguns benefícios dessa estratégia. Veja:

1- Economia de recursos

Ao desenvolver um mínimo produto viável será possível economizar recursos,  financeiros e tempo. Como o foco é criar apenas o mínimo necessário para testar a viabilidade do produto, os investimentos iniciais são reduzidos, diminuindo os riscos financeiros.

2- Validação de mercado

Um mínimo produto viável permite que a empresa teste sua ideia diretamente no mercado, coletando feedback de usuários reais. Dessa maneira será possível validar se o produto vai atender as necessidades e expectativas dos clientes, podendo evitar um  investimentos desnecessários em produtos que não têm aceitação no mercado.

3- Aprendizado rápido

Com base no feedback dos usuários, a empresa poderá identificar pontos fortes e fracos do produto, com o mínimo produto viável  é possível observar o comportamento do mercado e realizar melhorias iterativas de forma mais eficiente.

4- Redução de retrabalho

Se você tem a oportunidade de testar o produto em um estágio inicial, poderá identificar problemas e falhas rapidamente, antes de investir em um desenvolvimento completo, com o mínimo produto viável, você poderá evitar o retrabalho e custos extras no futuro.

5- Antecipação de tendências

Ao lançar um MVP, a empresa poderá acompanhar as reações do mercado e antecipar tendências. Isso permite que a empresa se posicione de maneira estratégica, podendo se adaptar  às necessidades do mercado, podendo ganhar vantagem competitiva.

Dicas de como fazer um Mínimo Produto Viável

A seguir fiz mais uma lista para te ajudar no mínimo produto viável, mas agora, com dicas para te ensinar como fazer um Mínimo Produto Viável. Confira:

1- Defina o objetivo

Antes de iniciar o processo para criação do mínimo produto viável, é importante que você defina qual é o objetivo do produto ou serviço que você deseja validar. Portanto, identifique as hipóteses que você quer testar e estabeleça métricas para medir o sucesso do mínimo produto viável.

2- Pesquise o mercado e os usuários

É importante que antes de você criar um mínimo produto viável, que você realize uma pesquisa de mercado para poder entender o contexto em que seu produto será inserido. Portanto, identifique o perfil do seu público-alvo e quais são as suas necessidades, isso vai te ajudar a moldar o Mínimo produto viável de acordo com as expectativas dos usuários.

3- Liste as funcionalidades essenciais

Identifique as funcionalidades mínimas necessárias para que o produto cumpra sua proposta de valor. Esteja focado nas  principais tarefas que o produto deve desempenhar. Evite adicionar recursos difíceis e que não sejam essenciais nessa fase inicial.

4- Elabore um protótipo básico

Tendo base nas funcionalidades que você identificou, crie um protótipo básico do produto. Você pode fazer isso usando ferramentas de design ou prototipagem, como o Adobe XD ou até mesmo com um papel e caneta, o seu objetivo é ter uma representação visual das principais interações e fluxos do produto.

5- Teste o protótipo

Faça testes com usuários reais para obter feedback sobre o protótipo, assim você vai conseguir observar como os usuários vão interagir com o produto podendo assim revelar insights valiosos sobre o produto ou serviço, permitindo que você realize melhorias,  caso seja necessário.

6- Faça melhorias

Tendo base no feedback que você recebeu, faça alterações no protótipo, realize ajustes nas funcionalidades, nos fluxos de navegação e design com base nas sugestões dos usuários. É importante que você esteja focado nas melhorias que podem agregar valor e resolver problemas identificados.

7- Desenvolva uma versão mínima funcional

Ao realizar melhorias no protótipo, desenvolva uma versão mínima funcional do produto. Nessa etapa, o seu objetivo deverá ser criar uma versão básica com funcionalidades essenciais, mas que também funcione de maneira simples e eficiente.

Mínimo produto viável e o Lean Startup

O conceito do mínimo produto viável sempre esteve ligado aos projetos das startups, ele foi aperfeiçoado por Eric Ries que lançou novas bases para o mínimo produto viável no livro em que apresentou o termo Lean Startup.

Na obra, o autor faz a definição do mínimo produto viável como a versão do produto que permite uma volta completa do ciclo construir,  medir e aprender, com o mínimo de esforço e com o menor tempo de desenvolvimento.

Pense, de certa forma, se levarmos em conta que as startups, também são produtos em desenvolvimento, fica clara a relação entre os dois.

Mesmo que as Startups sejam um tipo de negócio em que a aceitação dos riscos é um pouco mais alta do que a média, não quer dizer que elas possam ser lançadas de forma irresponsável no mercado.

Com isso o mínimo produto viável, é o meio mais seguro para poder avaliar produtos e serviços. Podendo   potencializar o lucro ao mesmo tempo em que os riscos são minimizados.

É importante ressaltar que startups são empresas financiadas por outros investidores, que esperam o retorno sobre seus investimentos. É um produto no momento minimamente viável em versão de testes, sendo uma maneira garantir que vale a pena investir em um negócio que está iniciando.

Dica Bônus: Mínimo Produto Viável iável 

Dica para lançar o mínimo produto viável no mercado

  • É importante avaliar a viabilidade do negócio, para poder validar a aceitação do produto pelo mercado. Portanto considere fatores como custos, modelo, escalabilidade e competitividade. Fazer essa análise vai te ajudar a determinar se vale a pena investir recursos adicionais no desenvolvimento e na expansão do produto.

Tipos de mínimo produto viável 

O formato do mínimo produto viável, apesar de partir de uma mesma concepção, poderá aparecer em diferentes modalidades. Sempre de acordo com as necessidades da empresa ou do empreendedor. 

É importante ressaltar que as características do produto e o valor de investimento inicial disponível são  pontos que devem ser levados em conta na escolha do tipo do mínimo produto viável.

A seguir fiz uma lista com detalhes sobre os mais populares. Confira:

1- Mínimo Produto Viável Protótipo

O protótipo é ideal para softwares e funcionalidades complexas, ele é um exemplar funcional da solução, entregue a um público selecionado para colher suas avaliações sobre os diferenciais e pontos a serem melhorados.

Por ser mais completo e se parecer com o produto final, esse tipo de mínimo produto viável costuma sair mais caro em relação à maioria dos demais.

2- Mínimo Produto Viável Duplo

Esse é um mínimo produto viável baseado nos testes A/B ( aqueles em que duas versões de uma solução são oferecidas simultaneamente) para poder comparar qual delas tem maior aceitação.

Com ele, quando  o público acessar o site ou plataforma correspondente, será direcionado automaticamente para uma das duas versões.

O mínimo produto viável duplo vai exigir mais investimento do que o protótipo, já que ele implica na criação de 2 versões diferentes.

Essa é uma excelente ferramenta para customização e validação de uma função relevante do produto.

3- Mínimo Produto Viável Mágico de Oz

Esse mínimo produto viável tem um  nome curioso e ele se refere à entrega da solução que é feita inicialmente por pessoas que atuam nos bastidores.

Ele é recomendado para serviços que envolvem a automatização, pois permite testes sem a contratação de softwares. 

Então, em vez de oferecer uma versão automatizada, ele fornece um MVP no qual pessoas reais fazem o papel das máquinas.

4-Mínimo Produto Viável Concierge

Esse formato ganhou esse nome (Concierge) porque oferece uma solução personalizada para um pequeno grupo de consumidores. Ele serve para reforçar a ideia de um atendimento exclusivo. 

5- Mínimo Produto Viável Piecemeal

O mínimo produto viável piecemeal é ideal para quem está com o orçamento baixo. Ele está concentrado em testes feitos através de plataformas gratuitas existentes.

6- Mínimo Produto Viável Fumaça

A estratégia é tudo em um negócio e cada passo deve ser bem calculado para não haver riscos e ameaças que vêm de fora ou até mesmo de dentro da organização.

As startups que funcionam dessa maneira  é o mínimo produto viável fumaça. Basicamente a “fumaça”, é um anúncio em canais de grande visibilidade.

Com ele é possível saber o quão interessado está o público nessa solução, ajudando a orientar no seu desenvolvimento e uma posterior divulgação.

Com base nas respostas obtidas, poderão ser obtidos feedbacks valiosos.

Dica: Busque inspiração em cases de sucesso de mínimo produto viável em sua área de atuação. É importante estudar como outras empresas utilizaram essa estratégia e quais foram os resultados alcançados. 

Conclusão 

A criação de um mínimo produto viável eficaz é um processo empenhado em validar uma ideia de produto ou serviço de forma ágil e econômica. 

É importante ressaltar que o foco  é aprender com os usuários e adaptar a uma solução de acordo com suas necessidades.

Utilize o mínimo produto viável como uma ferramenta estratégica para poder minimizar riscos, otimizar recursos e direcionar o desenvolvimento de um mínimo produto viável de sucesso.

Hoje neste artigo, você conheceu o Mínimo Produto Viável, e descobriu que ele é ferramenta importante para lançar soluções que entregam valor ao cliente.

Seguindo as dicas de hoje, tenho certeza que você já poderá começar a construir o seu mínimo produto viável e validar sua ideia junto ao público-alvo.

Espero que tenha gostado deste conteúdo. Se ficou com alguma dúvida deixe nos comentários e até a próxima.

Uma resposta

  1. Sempre fico impressionado com a qualidade do conteúdo do Núcleo Expert! Suas análises aprofundadas e abordagens inovadoras são um verdadeiro tesouro para quem busca se destacar no mercado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

INSCREVA-SE comece a ganhar dinheiro DE VERDADE NA INTERNET

EU SEI…Todo Mundo Fica Oferecendo “Coisas Grátis”, Mas Pode Ter Certeza, Esse Curso Gratuito é DIFERENTE de tudo o Que Você Já Viu!

Área de Membros - NucleoExpert

FREE
VIEW